Cadernos de Estudos Sefarditas, volume 7

2007

Parte 1
Ciclo 2006

- Ronaldo Vainfas, Tipologia do desengano: cristãos-novos portugueses entre Amesterdão e o Brasil holandês
- Giuseppe Marcocci, A Inquisição portuguesa sob acusação: o protesto internacional de Gastão de Abrunhosa.
- António Andrade, De Ferrara para Lisboa: tribulações do cristão-novo Alexandre Reinel, preso no cárcere do Santo Ofício.
- Fabrizio Lelli, Messianic Expectations and Portuguese Geographical Discoveries: Yohanan Alemanno’s Renaissance curiosity.


Parte 2
Artigos

- Florbela Veiga Frade, Formas de Vida e Religiosidade na Diáspora. As Esnogas ou Casas de Culto (séculos XVI-XVII)
- François Soyer, The Massacre of the New Christians of Lisbon in 1506: a New Eyewitness Account
- Gunes Isiksel, A letter to Shahzade Selim to Charles IX of France on the “Nassi Affair”
- Herman Prins Salomon, A Oração para a autoridade na esnoga de Amesterdão como factor de conservação da identidade portuguesa.
- James Nelson Novoa, The Departure of Duarte de Paz from Rome in the light of documents from the Vatican Secret Archive.


Parte 3
Fontes

- António Andrade, O processo de Alexandre Reinel. alias Isaque Bendana, na Inquisição de Lisboa




Resumos / Abstracts

Parte I - Ciclo de Conferências

Ronaldo Vainfas,

O artigo enfoca a experiência de cristãos-novos portugueses que passaram de Amsterdão ao Brasil no século XVII, durante a dominação de Pernambuco pelos holandeses, entre 1630 e 1650. Discute o conceito de judeu novo de Yosef kaplan relacionado à identidade cultural destes homens na diáspora sefardita. A investigação encontra-se baseada em vários documentos da Inquisição Portuguesa.

The article focuses the experience of New Christian-new Portuguese who had passed from Amsterdam to Brazil in the XVIIth century, during the Dutch conquest of Pernambuco, between 1630 and 1650. It discusses the concept of New Jew proposed by Yosef Kaplan related to the cultural identity of these men in the Sephardic diaspora. The research is based upon several documents of the Portuguese Inquisition.


Giuseppe Marcocci, A Inquisição portuguesa sob acusação: o protesto internacional de Gastão de Abrunhosa

Entre os finais do século XVI e as primeira décadas do século seguinte, a discriminação de pessoas e grupos familiares que tinham origens judaicas tornou-se uma realidade cada vez mais concreta e difusa na sociedade portuguesa. Leis e instituições ratificaram o ideal ibérico dum reino fundado sobre a "limpeza de sangue". Para defender a honra da sua família, que se considerava nobre e cristã-velha (apesar de contar judeus entre os seus antepassados), o fidalgo Gastão de Abrunhosa chegou a desencadear um excepcional protesto internacional, que alcançou a Cúria romana e a Corte de Castela. Os documentos conservados nos fundos portugueses (Arquivo da Torre do Tombo, Biblioteca Nacional de Lisboa, Biblioteca da Ajuda), bem como em Espanha (Arquivo General de Simancas) e Itália (Archivio della Congregazione per la Dottrina della Fede, Archivio Segreto Vaticano, Archivio di Stato di Firenze, Biblioteca Apostolica Vaticana), revelam os contornos de um dos casos mais clamorosos de resistência contra as tendências segregacionistas que afligiam a sociedade portuguesa da primeira idade moderna. O exemplo do lúcido ataque de Abrunhosa contra o estilo do Santo Ofício lusitano, em particular contra o uso das testemunhas singulares, representa um convite aos historiadores para repensar numa perspectiva mais ampla e complexa a luta entre Inquisição e cristãos-novos.

Between the end of the sixteenth century and the first few decades of the century which followed, the discrimination against people of Jewish origin and their relatives became ever more concrete and common in Portuguese society. Laws and institutions ratified the Iberian ideal of a kingdom founded upon the “purity of blood”. In order to defend the honour of his family, which he considered to be of noble and Old Christian origin (in spite of having Jewish ancestors), the nobleman Gastão de Abrunhosa initiated an internation protest which reached the Roman Curia and the court of Castille. Documents preserved in Portuguese archives, (Arquivo da Torre do Tombo, Biblioteca Nacional de Lisboa, Biblioteca da Ajuda), Spain, (Arquivo General de Simancas) and Italy (Archivio della Congregazione per la Dottrina della Fede, Archivio Segreto Vaticano, Archivio di Stato di Firenze, Biblioteca Apostolica Vaticana), reveal the goings on of one of the most outstanding cases of resistence against the segregational tendencies which afflicted Portuguese society in the Early Modern period. The example of Abrunhosa´s lucid attack against the functioning of the Portuguese Holy Office, in particular, against the use of individual witnesses, represents an invitation to historians to rethink the struggle between the Inquistion and the New Christians in a more complex and ample way.



António Andrade, De Ferrara a Lisboa: tribulações do cristão-novo Alexandre Reinel, preso no cárcere do Santo Ofício

Alexandre Reinel figura entre o número dos cristãos-novos que foram apanhados nas malhas da Inquisição portuguesa, sobretudo a partir da segunda metade de Quinhentos, aquando do seu regresso a Portugal, provenientes geralmente das comunidades judaico-portuguesas estabelecidas em Antuérpia, Ferrara ou Veneza. Ao réu foram curiosamente apreendidos um livrinho de contactos e umas cartas não identificadas, apensas ao processo, cuja presente análise tornou possível traçar a identificação da remetente e do destinatário e interpretar o conteúdo das enigmáticas missivas. O cruzamento dos dados registados no processo de Alexandre Reinel com os de várias outras fontes documentais permitiu reconstruir e acompanhar de perto as actividades e o percurso trilhado pela família Reinel-Abendana através da Europa de Quinhentos, nomeadamente o papel desempenhado por Alexandre Reinel na rede de apoio à emigração ilegal dos cristãos-novos.
Alexandre Reinel stands in the number of those New Christians caught by the Portuguese Inquisition namely in the second half of the 16th Century on returning to Portugal from the Portuguese Sephardic communities settled in Antwerp, Ferrara or Venice. Both a contact list and some previously unidentified letters were appended to his criminal deed whose recognition only possible through this investigation sheds some light on the characterization of the parts involved in this enigmatic epistolary. The crossing of all the available data concerning Alexandre Reinel and no only from his criminal deed in the Portuguese Inquisition as permitted hence to reconstruct and closely perceive is activities, and those of the clan Reinel-Abendana towards a better understanding of their importance in creating a safe net supporting the New Christians endeavor to flee Portugal.


Fabrizio Lelli, Messianic Expectations and Portuguese Geographical Discoveries: Yohanan Alemanno's Renaissance curiosity

Na segunda metade do século XV, e em particular depois da queda de Constantinopla nas mãos dos Muçulmanos, a sociedade italiana tornou-se especialmente preocupada com a ideia do fim dos tempos. Esta concepção escatológica - a qual era comum entre Judeus e Cristãos - foi também despoletada pelos descobrimentos geográficos portugueses, que trouxeram uma nova luz sobre as regiões da África e da Ásia viradas para o Oceano Índico, e que há muito tempo se encontravam relacionadas com o ambiente messiânico. Este artigo debruça-se sobre a recepção da informação sobre os descobrimentos portugueses por parte de um dos mais impressionantes intelectuais judaicos italianos, Yohanan Alemanno (1435 - depois de 1506). A pesquisa intelectual tocou muitos dos domínios do conhecimento judaico, focando-se também no messianismo. Apesar de fundamentar as suas concepções essencialmente em fontes tradicionais, Alemanno também utilizou informação geográfica que circulava na sociedade não judaica da época. As referências sobre eventos messiânicos relacionados com os descobrimentos portugueses, incluindo o Liqquitim (Livro de Notas) de Alemanno podem ser referidos entre os primeiros testemunhos feitos por um intelectual judeu sobre a existência documentada de judeus na Índia e na Etiópia.

In the second half of the fifteenth century, and especially after the fall of Constantinople into the hands of the Muslims, Italian society became especially concerned with the idea of the end times. Such an eschatological conception - which was common among both Jews and Christians - had been triggered also by Portuguese geographical discoveries, that shed new light on African and Asian regions facing the Indian Ocean, and which had been long related to the Messianic advent. This article deals with the reception of information about Portuguese discoveries by one of the most outstanding Italian Jewish scholars, Yohanan Alemanno (1435 - after 1506). Alemanno's intellectual research ranged over most domains of Jewish knowledge, focusing also on messianism. Although mainly founding his conceptions on traditional sources, Alemanno also drew on geographical information circulating in contemporary non-Jewish society. The notes on messianic events related to Portuguese discoveries included in Alemanno's Liqqutim (Notebook) can be counted among the very first testimonies by a Jewish intellectual on the documented existence of Jews in India and Ethiopia.


Parte II

Florbela Veiga Frade,

Nos séculos XVI e XVII os cristãos-novos portugueses em diáspora fixaram-se nos mais diversos pontos do mundo. O presente artigo debruça-se sobre a religiosidade e formas de vida de três comunidades: Antuérpia, Roterdão e Hamburgo. Estas comunidades geralmente tinham uma ou várias casas de culto também chamadas esnogas onde os cristãos-novos podiam rezar e celebrar diversas cerimónias judaicas, jejuns e festas assim como era o local de reunião no Shabat. Os cristãos-novos portugueses mantiveram práticas e rituais judaicos durante gerações, com ou sem permissão das autoridades locais para o fazerem. Geralmente as suas práticas não eram permitidas, contudo continuavam a ser preservadas na esfera privada com a ajuda de pessoas que mantinham vivos os preceitos do Judaísmo. No entanto, na maior parte das vezes não existia a figura do rabino como chefe e orientador da vida religiosa.

In the 16th and 17th centuries Portuguese New-Christians spread all over the world. This paper deals with the religiosity and ways of life in three Portuguese Communities: Antwerp, Roterdam and Hamburg. These communities had usually a house of cult or an esnoga where New-Christians could pray and celebrate several Judaic ceremonies, fasts or fests and join in the Shabbat reunion. The Portuguese New-Christians maintained Judaic practices and rituals for generations, regardless having or not local authorities’ permission to do it. As a norm, Jewish practises were not allowed but were privately maintained helped by people who preserved the precepts of Judaism although most of the times there were no rabbis involved.


François Soyer, The Massacre of the New Christians of Lisbon in 1506: A New Eyewitness Account

No domingo 19 de Abril de 1506, a cidade de Lisboa foi palco de uma explosão de violência que durou quatro dias e resultou na morte violenta de 1.000 a 4.000 homens, mulheres e crianças, apontados pelo facto de serem "novos cristãos" (judeus convertidos ao cristianismo). Este artigo aborda uma descrição do massacre de 1506 que está contido em um manuscrito intitulado Chronicas dos Reys de Portugal e sumarios das suas vidas com a historia das Indias e Armadas que se mandarom athe o anno de 1533, cuja autoria é atribuída ao historiador Gaspar Correia (c.1492-c.1560). Esta descrição da matança, foi escrita, pelo menos parcialmente, por uma testemunha ocular, oferecendo aos historiadores não só novos detalhes sobre o massacre em si, mas também contribuindo para uma nova perspectiva sobre este terrível acontecimento, uma perspectiva que é aparentemente hostil aos Cristãos Novos. A importância histórica da decrição de Gaspar Correia do massacre de 1506 merece ser reconhecida e merece um lugar ao lado das fontes melhor conhecidas, como as obras de Ibn Verga, Isaac Ibn Faradj, ou Damião de Góis.

On Sunday 19 April 1506, the city of Lisbon was the scene of an explosion of violence that lasted four days and is estimated to have resulted in the violent deaths of anywhere between 1,000 to 4,000 men, women and children, singled out because of the fact that they were “New Christians” (Jewish converts to Christianity). This article deals with an as yet unexamined account of the massacre of 1506 that is contained in a manuscript entitled Chronicas dos Reys de Portugal e sumarios das suas vidas com a historia das Indias e Armadas que se mandarom athe o anno de 1533, whose authorship has been attributed to Gaspar Correia (c.1492-c.1560). Written at least partly by an eyewitness, this account of the massacre of the New Christians of Lisbon provides historians not only with new details about the massacre itself but also with a new perspective of that terrible event, one that is seemingly hostile to the New Christians. The historical importance of Gaspar Correia’s account of the massacre of 1506 deserves to be recognised and it merits a place alongside better known sources, such as the works of Ibn Verga, Isaac Ibn Faradj, or Damião de Góis.


Günes Isiksel, A letter of chahzade Selîm to Charles IX on the “Nassi Affair”

Neste pequeno estudo é mostrado o contexto do primeiro, e um dos raros exemplos, do envolvimento dos soberanos otomanos na diplomacia europeia, apresentando-se também uma cópia inédita de uma carta do príncipe Selim para a Corte francesa, depois de lhe ter sido apresentada uma solicitação por parte do seu banqueiro Joseph Nassi.

In this short study, not only the context of one of the first and indeed, rare examples of Ottoman princes’ involvement in European diplomacy is shown but also a unpublished copy of the Prince Selîm’s letter to the French Court following his banker Joseph Nassi’s solicitations is presented.


Herman Prins Salomon,

A oração Hanoten (“Quem outorga”) que se recita em hebraico comporta, na esnoga portuguesa de Amesterdão ainda hoje uma inserção em português. Esta presença da língua portuguesa numa comunidade que perdeu o uso do português como meio de comunicação há mais de século e meio, desperta a curiosidade dos visitantes. Neste artigo quero contrastar a presença e o desenvolvimento da inserção portuguesa em Amesterdão, onde está em casa, se recita com muita frequência e segue imprimindo-se, com a sua quase não presença e não desenvolvimento na maioria das outras comunidades portuguesas e hispano-portuguesas, onde deixou poucos ou nenhuns rastos impressos. Trata-se portanto de uma originalidade da esnoga Amsterdamense muito própria historicamente dela que, embora se transmitisse às de Haia, Curaçau, Suriname, Hamburgo, Londres, Nova Iorque, etc., aí acabou por desaparecer ou mal sobrevive. Em Londres, por exemplo, deixou um único testemunho impresso (1836) e a sua substituição por um texto inglês (1852) foi um factor do desaparecimento da identidade portuguesa.

The prayer hanoten (“He who dispenses”) that is recited in Hebrew contains -- in the Portuguese synagogue service of Amsterdam -- an insertion in Portuguese. This regular presence of the Portuguese language in a community which lost the use of Portuguese as a means of communication more than a century and a half ago, does not fail to arouse the curiosity of occasional visitors. In this article I attempt to contrast the presence and development of the Portuguese insertion in the Amsterdam service, where it is at home, is recited very frequently and continues to appear in the printed Order of Service, with its well-nigh absence and non-development in the majority of other Portuguese and Spanish-Portuguese Jewish communities, where it left few or no published traces of its one-time presence. Thus we are dealing with an original feature of the Amsterdam Portuguese synagogue, very much intertwined with its history which, although it was transmitted to those of The Hague, Curaçao, Surinam, Hamburg, London, New York, etc., ended up there either falling by the wayside or surviving with difficulty. In London, for example, it left only one printed witness (1836) and its replacement by an English text (1852) marked the disappearance of that community‟s Portuguese identity.


James Nelson Novoa, The Departure of Duarte de Paz from Rome in the light of documents from the Vatican Secret Archives

The article presents documents from the Vatican Secret Archives which help to reconstruct the circumstances involved in Duarte de Paz’s departure from Rome in the first months of 1538 due to his fall from favour in Curial circles in Rome and his definitive repudiation on the part of the Portuguese New Christians which he claimed to represent. It would seem that he left, ostensibly to reach Antwerp where he sought payment for the services rendered to the New Christians during his tenure in Rome as their agent through money taken from goods sequestered from the New Christians on the part of the Governor of the Low Countries. Apart from the intrinsic interest of additional knowledge about Paz himself it points out the divisions and inner disputes in the Portuguese New Christian organization itself in its struggle against the functioning of the Inquistion in Portugal.


António Andrade, O Processo de Alexandre Reinel, alias Isaque Bendana, na Inquisição de Lisboa

Alexandre Reinel figura entre o número dos cristãos-novos, estabelecidos nas comunidades judaico-portuguesas em diáspora (provenientes, em particular, de Antuérpia, Ferrara e Veneza), que foram apanhados nas malhas da Inquisição portuguesa, sobretudo a partir da segunda metade de Quinhentos, no seu regresso a Portugal. O contacto entre os que partiram e os que ficaram nunca se perdeu e manteve-se sempre bastante activo por meio de agentes destacados, que voltavam ao Reino em representação de interesses familiares e da própria Nação Portuguesa. O processo inquisitorial que foi instaurado a Alexandre Reinel constitui, sem dúvida, uma fonte privilegiada, quer sobre as actividades dos que retornaram, quer sobre a constituição e acção das comunidades de onde provinham.
Alexandre Reinel stands in the number of those New Christians Portuguese settled in Sephardic communities of Antwerp, Ferrara and Venice caught by the Portuguese Inquisition on returning to Portugal. Contact between those who left and those who staid was never really lost and we suspect an active epistolary maintained through some important agents, returning to Portugal for diplomatic reasons concerning the welfare of the Portuguese New Christians. Alexandre Reinel’s criminal deed in the Portuguese Inquisition stands therefore as a privileged source for the understanding of both the activities of those ho returned home as well of the Diaspora communities from which they were returning from.





13 €
Encomendar

Cadernos de Estudos Sefarditas
Revista semestral de circulação internacional, sujeita a arbitragem científica e indexada nas bases de dados internacionais Latindex, Qualis/CAPES e WorldCat.